Entre voz e letra O lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX 220px
Entre voz e letra - O lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX
Autora: Laura Cavalcante Padilha
Páginas: 267
Peso: 0,315 kg
ISBN: 978-85-228-0440-5
Eduff / Pallas
Edição: 2ª, revista
Ano de publicação: 2007
Idioma: Português
Indisponível

Entre voz e letra - O lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX

 

Um amplo percurso da literatura de Angola é traçado neste livro em que são analisados quatro momentos representativos do sistema ficcional angolano, desde a tradição até a modernidade.

O primeiro segmento, "Exercícios de sabedoria", se ocupa do universo da oralidade angolana, a partir de textos da tradição recolhidos por Óscar Ribas e Héli Chatelain. A ensaísta discorre acerca da narratividade oral própria aos griots, os velhos contadores africanos.

No segundo segmento, "À sombra da rainha Jinga", com base na análise do romance "O segredo da morta", de Assis Júnior, a autora conclui ser essa narrativa um primeiro marco na formação do sistema ficcional angolano, pois, embora ainda siga em alguns aspectos a tradição romanesca ocidental, já começa a expressar o imaginário cultural angolano, entrelaçando com a letra europeia vozes genuinamente locais.

O terceiro segmento, "Um viajante na lunda", aborda os romances de Castro Soromenho, que, ao fazerem a denúncia do colonialismo, representam um corte significativo em relação à literatura colonial.

No quarto e último segmento, "O salto para a outra margem", a autora focaliza a produção ficcional angolana pós-1950, indo até os anos 1980. Aí são depreendidas três importantes vertentes: a do engajamento político-ideológico em prol da independência nacional; a da reinvenção da tradição; e a do trabalho estético com a linguagem literária recriada a partir de um olhar autenticamente africano. Examina narrativas curtas e romances de autores como Luandino Vieira, Pepetela, Manuel Rui, Boaventura Cardoso, Jofre Rocha e António Jacinto.